terça-feira, 12 de junho de 2018

Violão, uma Viola grande

Você sabia que o nome Violão surgiu como o aumentativo de Viola?

Isso mesmo! Ao longo dos meus anos como professor de música muitos alunos me perguntam o porquê do nome Violão.

Neste artigo vamos ver a origem desse nome e um pouco do que há em comum entre a Viola, a Guitarra e o Violão.

Uma das hipóteses para a origem do Violão é que ele seria derivado do Alaúde Árabe, que deu origem à Guitarra Mourisca e também da Guitarra Latina, derivada da Khetara Grega, que conviviam no mesmo período na Europa, mais exatamente na Espãnha, surgindo aí um novo instrumento chamado simplesmente de Guitarra.
 
Guitarra Mourisca
                                                 

Esse novo instrumento começou a ser propagado em outros países, como a Itália e a França, e caiu de vez no gosto dos europeus.

Já em Portugal, existia outro instrumento chamado de Viola Portuguesa, da qual deu origem a nossa Viola Caipira e quando os portugueses tiveram contato com a Guitarra Espanhola, se percebeu que os instrumentos eram muito parecidos, porém a Guitarra era maior e mais robusta que a Viola, portanto um Violão.
 
Viola Portuguesa

Desde então, em alguns países de língua portuguesa, adotou-se o nome Violão para esse instrumento, já em outros ele é conhecido como Guitarra Clássica.
 
Violão

No Brasil utilizamos o termo Guitarra, para a famosa Guitarra Elétrica, que é derivada do Violão, e Viola para a nossa Viola Caipira.
 
Guitarra Elétrica
 

Viola Caipira
 
 
É interessante perceber como esses instrumentos se misturam tanto na sua anatomia como na sua etimologia fazendo com que o instrumentista tenha certa afinidade com ambos e acabe se interessando em praticá-los.

Apesar de o repertório ser um dos pequenos pontos que os diferencia, hoje em dia, eles se misturam nas composições, nas gravações e tambem nos palcos, cada um com sua característica e beleza própria.
-Prof. JOÃO PAULO ARAÚJO
 

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Trítono

Chamamos de Trítono o intervalo de três tons que existe entre a 3ª e a 7ª de um determinado acorde.

Essa distância de três tons, causa aos nossos ouvidos uma sensação desagradável, o que chamamos de Dissonância.

O acorde em questão é o acorde V7, que nos confere um caráter de tensão, que exige resolução.

Sua resolução poderá ser tanto no acorde "Maior" quanto no acorde "menor", como podemos observar no exemplo abaixo.

Ex:



O Trítono, por ser um intervalo dissonante, era proibido de ser tocado na Idade Média, onde recebeu o nome de "diabolus in musica" pois sua sonoridade desarmônica, dita até então, não representava a perfeição de Deus que se traduzia em sons harmônicos.

Hoje em dia usamos o Trítono em quase todos os estilos musicais, sendo que em alguns, praticamente em todos os acordes, como o Blues e o Jazz.

- Prof. JOÃO PAULO ARAÚJO